|| INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Aqui você pode fazer downloads de importantes aulas sobre nutrição parenteral. Clique abaixo para baixar (arquivos em formato PDF).

  • PORTARIA 272/1998 – NUTRIÇÃO PARENTERAL
  • PORTARIA 343 / 2005 – MECANISMOS PARA IMPLANTAÇÃO DA ASSISTÊNCIA TN – SUS
  • RDC 63/2000 – NUTRICAO ENTERAL
  • RDC 67/2007 – BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO
  • PORTARIA 120 / 2009. – CREDENCIAMENTO E HABILITAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA EM TNPE
  • Portaria MS/SNVS nº 272, de 8 de abril de 1998
  • Resolução RDC nº 17, de 16 de abril de 2010
  • Portaria MS/SNVS nº 500, de 9 de outubro de 1997
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE NUTRIÇÃO PARENTERAL E ENTERAL
  • AMERICAN SOCIETY OF HEALTH-SYSTEM PHARMACISTS
  • AMERICAN SOCIETY FOR PARENTERAL AND ENTERAL NUTRITION
  • EUROPEAN SOCIETY FOR CLINICAL NUTRITION AND METABOLISM
  • CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA – PE
  • CONSELHO REGIONAL DE NUTRIÇÃO – PE
  • CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA – PE
  • CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM – PE
  • CONSELHO FEDERAL DE NUTRIÇÃO
  • CONSELHO FEDERAL DE FARMÁCIA
  • CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA
  • CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM

A.S.P.E.N. – American Society for Parenteral and Enteral Nutrition
www.nutritioncare.org

ABCFARMA – Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico
www.abcfarma.org.br

ABRALE – Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia
www.abrale.org.br

ABRAN – Associação Brasileira de Nutrologia
www.abran.org.br

American Pharmacists Association
www.pharmacist.com

American Society of Health-System Pharmacists (ASHP)
www.ashp.org

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária
www.anvisa.gov.br

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária
www.anvisa.gov.br

ASPEN – American Society for Parenteral e Enteral Nutrition
www.clinnutr.org

Associação Argentina de Fitomedicina
www.plantasmedicinales.org

Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais
www.anfarmag.com.br

BIREME – Biblioteca Virtual em Saúde
www.bireme.br

CEBRIM – Centro Brasileiro de Informação sobre Medicamentos
www.cff.org.br/cebrim

Centro de Ensino Superior do Pará
www.cesupa.br

Clinical Pharmacology
www.clinicalpharmacology.com

1. Qual o tempo e temperatura de transporte?
O transporte deve ser feito em recipiente térmico exclusivo e dentro da faixa de temperatura entre 2ºC – 20ºC durante um período máximo de 12h, conforme Portaria MS/SNVS nº 272, de 8 abril de 1998.

2. Qual a temperatura recomendada para infusão da dieta?
Retirar a NP da geladeira com antecedência necessária para que a mesma atinja a temperatura ambiente, sem utilizar nenhuma fonte de calor (incubadoras, microondas, banho maria, etc…), recomendada para a sua administração, conforme Portaria MS/SNVS nº 272, de 8 abril de 1998.

3. Qual validade da nutrição parenteral?
A nutrição parenteral individualizada é um produto extemporâneo, portanto, ela tem validade de 24h até o momento da instalação para administração, sendo administrada em mais 24h, isso totaliza 48h de validade total.

1. Qual é a validade da Dieta Enteral manipulada?
A dieta manipulada tem validade de 6 horas em temperatura ambiente e 24 horas em refrigeração (2º a 8ºc )

2. Se a dieta estiver na geladeira, pode ser retirada e administrada em seguida?
A temperatura ideal para administração da dieta é a temperatura ambiente (entre 20 e 35º C). A dieta não deve ser administrada gelada, quente ou morna. Retire da geladeira 30 minutos em média antes do horário de administração, sem deixá-la exposta ao sol.

3. Posso acrescentar água para diluir a dieta?
Esse procedimento não é necessário. A dieta já vem do laboratório pronta para ser administrada. O único procedimento que se pode fazer com uma dieta antes de abri-la é agita-la para ficar mais homogênea. Caso ao abrir uma dieta, perceba algo diferente na sua viscosidade, não a utilize e entre em contato com seu nutricionista e ou médico.

© Clinutri - Rua Monsenhor Silva, 133, Madalena - CEP: 50610-360 - Recife/PE
Desenvolvido por WEBSID Internet