|| NUTRIÇÃO ENTERAL

Salas limpas Enteral: No interior da sala não existem ralos. A passagem dos materiais para o interior da sala e também a saída do produto pronto é feita através de Pass Throught. Classificação ISO 6 com pressão positiva, vestiário separado para paramentação, sem   classificação, com pressão positiva. Área útil: produção: 8m2; Ante câmara: 1,8.

  • Manipulação de dietas Enterais
  • Gestão em TN
  • Prestação de serviços com mão de obra especializada
  • Terceirização de Lactário e distribuição de dietas (Enterais, Suplementos, Fórmulas lácteas)
  • Terceirização de copeiras
  • Nutricionista Técnico Comercial
  • Nutricionistas Clínicas
  • Copeiras
  • Lactaristas
  • Nutricionistas Plantonistas
  • Enfermeira Especialista SBNPE
  • EMTN: procedimentos relacionados a prática da TN
  • Cursos de Educação Continuada na área TN
  • Treinamentos periódicos aos profissionais envolvidos com a TN
  • Manual de Boas Práticas para Copeiras e Lactaristas
  1. Análise da prescrição Nutricional realizada diariamente pela nutricionista;
  2. Fornecedores de matéria prima qualificados, assegurando que essas venham acompanhadas do Certificado de Análise do Fabricante;
  3. Dietas manipuladas personalizadas conforme solicitação, individualizadas e adequadas do ponto de vista nutricional em Macro e Micro nutrientes;
  4. As dietas são lançadas no sistema (MDCI NUTRITEC) conferidas e avaliadas, e liberadas para a manipulação, podendo haver alguma intervenção junto com a nutricionista do hospital
  5. Quando necessário a prescrição poderá ser complementada; neste caso o nutricionista do hospital deve autorizar, via e-mail, qualquer alteração da prescrição, que deverá ser arquivada junto à prescrição original;
  6. Assegurar que os rótulos da NE apresentem as diretrizes exigidas na Rotulagem e Embalagem da BPPNE;
  7. Assegurar a correta amostragem da NE preparada para análise microbiológica;
  8. Atender aos requisitos técnicos na manipulação da NE;
  9. Participar, promover e registrar as atividades de treinamento operacional e de educação continuada, garantindo a atualização de seus colaboradores, bem como para todos os profissionais envolvidos na preparação da NE;
  10. Supervisionar e promover auto-inspeção nas rotinas operacionais da preparação da NE;
  11. Verificar as informações relacionadas à NE determinados pelo cliente (nome hospital, nome completo do paciente, unidade de internação, volume por etapa, gotejamento (ml/h), horários de administração);
  12. Toda sessão de manipulação é retirado amostra (contra prova) para controle microbiológico (200ml) e acondicionada sob refrigeração (2º a 8ºc) por 72 horas, conforme RDC 63;
  13. Mensalmente é coletado 200ml da dieta que estiver sendo manipulada para análise microbiológica;
  14. A água também é coletada (200ml) e realizado análise microbiológica mensalmente, e a cada 6 meses é feito a análise Fisico-química;
  15. O controle de Potabilidade (PH e Cloro) da água é feito diariamente pela nutricionista;
  16. O transporte das dietas são realizados em recipientes térmicos e a temperatura monitorada com pirômetros calibrados a laser, possibilitando a verificação individual pelo próprio clientes.
© Clinutri - Rua Monsenhor Silva, 133, Madalena - CEP: 50610-360 - Recife/PE
Desenvolvido por WEBSID Internet